MEDOS OU CONFIANÇA

Como falei antes, nesse ano de 2015, bem diferente de quando sai de Novo Hamburgo, e depois de muitos passeios curtos e novas experiencias, parece que o Oriom e a Lilian se sentem preparados para iniciar a viagem.

Chegando a data de saida, ai, ai, ai, ai, parece que tudo da errado. Bem que eu senti que algo estava mal com minha mecanica, estava preocupada, na hora de sair nao sei se seria bom mudar qualquer coisa, mas quem disse que o Oriom e facil de convencer, e um cabeca dura. Entao, nao satisfeito com a velocidade que conseguimos na ultima viagem resolveu mudar a relacao do diferencial de 7/40 para 8/39, esse ultimo me faria correr mais, tipo colocar uma 5 marcha. Tudo culpa daquele verdao que mais parece um pepino, embora ele se ache o tal, so porque o dono o batizou de Pegazus. O Pegasus e o motorhome do Rodrigo da …. , nos viemos juntos na volta de um encontro de motorhome que fizemos em Arroio do Sal, na volta fizemos alguns testes, pisei fundo atendendo o pe do Oriom, achei que fui muito bem, mas eles nao, acharam que nao seria bom para mim que o motor estivesse sempre nas ultimas para chegar a um 100 km/h, resolveram mudar, estou aqui na oficina agora, cheia de medos. Falando um pouco dos encontros de motorhome posso dizer que sao momentos de reencontros, afinal tem varios durante o ano, e todos sao muito legais, ali podemos rever os companheiros de estrada. Na hora de chegada e sempre uma festa. Neste ultimo chegando em Arroio do Sal ja na entrada do parque de rodeios da cidade, procurei os amigos motorhome sem descendencia nobre, simplificando, os de fabricacao caseira, porque nao temos uma marca de fabricacao popular, ficam proximos, acho que por afinidade, sao normalmente menos emplumados, usam menos paetes e gostam  mais da terra, da natureza, usam menos os campings e normalmente viajam para todos os lugares, sem escolher as melhores rodovias e estradas. Eu sou assim, quero ir conhecendo tudo, esse negocio de repetir lugar so porque ali e muito bom nao me convence, e ainda bem que nao convence o Oriom e a Lilian tambem, gracas a DEUS.

Voltando aos meus medos, não é que foram mexer na caixa de abelhas. Isso mesmo, voltei para oficina do Luciano e Fabiano dois craques em mecânica e recuperação de veículos, me colocaram na maca, ou melhor na rampa, desmancharam meu diferencial e deram a lista de pecas ao Oriom que foi cedinho comprar na autorizada da mercedes em Porto Alegre, capital do Rio Grande Sul, mas tudo ainda dentro do previsto quando resolveram olhar o satélite e nao deu outro. Eu ali, como em uma cama de hospital ouvindo a conversa dos doutores para o Oriom, dando a noticia de que eu estava como que com uma ulcera, kkkk,  tudo gastinho, e lá se vai mais uma nota alta em pecas, e eu prevendo que o inicio de nossa saída comecava a ficar distante, porque sem dinheiro não da para viver na estrada. Angustia pura.

O Oriom chegou na Oficina e mostrou o que tinha comprado ao doutor Fabiano que e especialista em mecanica e conferia as pecas, ele então depois de uma anamnese disse – “hum tem coisa errada” – pensei: acho que tem algo querendo empapar minha sopa, nao pode ser agora, quando tudo esta tão pertinho, não pode dar errado! Ele entao falou que o rolamento que veio era trocado, isso em função de que meu chassi foi modificado de 1113 para 1313, isso até que é bom, sou mais resistente assim, em vez de 11 toneladas suporto 13 toneladas. De qualquer forma o Oriom teve de retornar a autorizada lá em Porto Alegre, para trocar o rolamento e comprar o satélite completo novo, “acho que to ficando novinha”, essa frase ate da um funck. Bom, logo a tarde ele retornou com todas as pecas, deu uma revisão em tudo e foi embora, mas não sem antes entrar e dar uma olhadinha em mim. Gosto dessa atenção. A tarde de sexta feira se foi e eu fiquei ali na garagem. A tarde na garagem foi de muita função, estava cheia de outros veiculos sofrendo reparos, só que Fabiano não estava ali, foi cuidar de seu pai que estava hospitalizado.

Sábado pela manha cedinho chegou o Fabiano e iniciou a montagem de minhas pecas, mas de repente resmungou – @#$#@#$@ – percebi que algo deu errado novamente, em seguida pegou o celular e ligou, ouvi dizendo que o problema era grave e que nao era barato dar geito. Ele falava com o Oriom que pouco tempo depois da ligação chegou na oficina, desceram na vala da oficina, que é um buraco onde entram para fazer os reparos por baixo dos veículos e ali ficaram, em baixo de mim analizando e falando, senti que mecheram na caixa do diferencial e concluiram que estava quebrada e que precisava de uma solda o que seria mais economico, tudo ficou para segunda feira, amanhã de manha, saberei meu destino.

Enquanto isso o Oriom quer contar um pouco de tudo.

Pois é assim, a Cami fala demais como toda Dama, o nome que escolhemos para ela, nosso motorhome. Ela está la na Oficina e amanhã, segunda, vou saber quanto vai sair o preço do conserto, ja é certo que vou concordar, a Cami não sabe disso, opto pela solda porque sei que será mais economico do que comprar um novo e tambem porque Fabiano me garantiu que o servico fica perfeito, e eu confio em sua opinião.

Hoje foi dia das mães, teve almoco em familia, tudo muito bom, mas durante o dia procurei saber tudo da instalacao de placas solares fotovoltaicas e do controlador de tensão, para instalação em um motorhome, o que poderá me dar autonomia quando iniciar nossa viagem.

Fico lendo blogs de viajantes, onde relatam que ficam anos nas estradas e eu aqui pesando nos custos, onde fica a pergunta: quem financia tudo?  Isso assusta, mas hoje li algo que me inspirou. Fazer o roteiro de uma viagem é importante porque organizar as coisas e preciso, no entanto nada mais importante em uma viagem do que sair a viajar. O negócio é iniciar, uma hora tenho que ter peito e colocar  a Cami na estrada, isso vai acontecer, to mais motivado ainda. Sou assim, esse negócio de que não da certo, meu tempo passou, um dia vou fazer não me serve, as coisas tem que acontecer e para isso tenho trabalhado nessa função de arruma aqui, ageita ali fazem dois anos.

Semana que vem tem um encontro de motorhome em Estrela no RS, uma festa anual que mobiliza a pequena cidade de imigracao alema, pretendo estar com a Cami rodando para irmos ate la. Um dia quero lembrar que vivi minha vida intensamente, e não me arrepender que o tempo passou, vou estar la, nos espere Estrela, que assim seja, se Deus quiser.

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Qual resultado *