Las Grutas

Por fim a Patagonia Argentina, beira mar, nos concedeu a beleza que encanta seus visitantes. Após ficarmos por três dias em San Antônio do Oeste fazendo um conserto na Cami.

Ao sairmos de Conesa onde recolocamos o eixo cardam que soltou, pegamos a estrada em direção a Puerto Madry, contudo o vento que soprava era tão  forte que soltou o toldo duas vezes e a vibração dentro da casa era muito grande, então resolvemos parar na primeira cidade que cruzassemos onde tentariamos algo para melhorar. Afinal, em algum lugar antes de Puerto Madry poderíamos fazer o conserto. Assim acabamos em San Antonio Oeste.

A entrada do cidade estava em arrumação ,  de qualquer forma é de chão batido, muita poeira, e uma vista que não prometia nada, isso tudo era provação.

No caminho demos carona a dois moradores de Las Grutas, um rapaz jovem e seu enteado, nos disseram que poderíamos achar uma ferreteria em San Antônio Oeste, e que Las Grutas era muito bonita  e turística.  Ao descerem em uma rotonda (rótula por aqui) a Lílian viu que o menino esqueceu  boné branco na mesa ,  parei a Cami e ela devolveu a ele pela janela, que sorrindo dizia muitas graçias, repetidas vezes. Ele gostava daquele boné!

Ao chegar em San Antônio Oeste, logo no inicio da cidade com ruas de chão batido e poeira, avistamos uma ferreteria,  e ali comprei parafuros e umas lâminas de metal que construí, a partir delas, duas segurança para as barras do toldo.

Essa ferreteria (ferragem),  tinha uma porta com um trinco que não fechava direito, já diz o ditado: “casa de ferreiro espeto de pau”,  então você entra e fica ali tentando fechar a porta enquanto o dono fica no balcão  te aguardando. Dentro tinha um pouco de tudo, e lógico, achei o que tinha imaginado, enquanto procurava por uma ferragem. Nesta mesma ferragem comprei quando de partida da cidade, duas tomadas para um amigo brasileiro que solicitou pela Internet.

O dono da ferragem me disse que na mesma rua havia um mecânico que poderia ou arrumar o problema de balanceamento da Cami,  ou indicar quem pudesse. Era intervalo de almoço do comércio, que normalmente vai até umas três horas da tarde. Diante disso a Lílian preparou o almoço ali mesmo, em frente a ferragem. Após comermos deslocamos até a frente da oficina que estava fechada. De um lado a oficina e no lado que paramos uma escola para pessoas especiais. Enquanto esperava abrir a oficina tratei de construir a segurança para o toldo.O sol era muito forte e estava muito quente. Nesse momento é  que você  dá valor ao toldo, e também  mais valor a uma máquina de solda portátil, esmerilhadeira e outras ferramentas. com tudo isso construí a segurança,  que entendo ficou muito boa.

Terminada a construção da segurança do toldo, a oficina mecânica  estava abrindo, falei com o mecânico  que me indicou uma outra oficina que trabalha com tornos e poderia fazer o balanceamento do Cardan da Cami, e lá fomos nós mais a dentro da cidade que passou a mostrar umas ruas com asfalto,  menos poeira, mais comércios ou seja, mais estrutura. Ali depois de conhecer todos, ficamos por três dias em conserto,  devido a outras demandas prioritárias. Fomos muito bem recebidos pelo Fernando proprietário e todos os auxiliares. Ligamos água,  luz, e nesse tempo fizemos outros reparos tipo troca da válvula do freio motor enquanto a Lílian lavou umas roupas e assim passamos esses dias.

Saímos de San Antônio do Oeste com execelente informações de Las Grutas, tanto que estamos aqui agora, a beira de um penhasco que deixa ver o  mar a uns 30 metro abaixo, após uma extensa praia de pedra reta, onde batem as ondas do mar. Nessa parte, lá em baixo foram feitas algumas piscinas nas pedras que ficam cheias de água em razão da maré alta.

O local é  realmente lindo, dizem que as águas são as mais quentes de toda a Argentina em razão de uma corrente marítima proveniente do Brasil.

Fomos até o centro de Las a Grutas onde fomos surpreendidos com shooping, lojas de departamentos,  e tudo que uma cidade turística de pequeno porte tem. Não resistimos ao maior tripancho da Patagonia, de 45 centímetros,  que não medimos, mas repartido satisfez a nós  dois.

Depois de tirar algumas fotos e conversar com um casal de argentinos que estão de motorhome ao nosso lado, e também tem por destino o Ushuaia, jantamos e eu vim postar mais essa estada em nossa viagem pela Argentina.

Vejam as fotos, curtam a página no face,  comentem e dêem uma olhada na rede de apoio aos viajantes que está esperando por você!

dsc07168 dsc07178 dsc07187 dsc07196 dsc07199

_dsc9294

 

Fiquem com Deus.

Compartilhar

ANO NOVO NOVOS RUMOS NOVA ETAPA

QUERIDOS AMIGOS E AMIGAS DA CAMI.  

   Acordei hoje e como de costume fui até a varanda onde meu velho pai Jordão toma seu chimarrão, ali compartilho uma cuias, as vezes tomo o primeiro da manhã, mas na maioria das vezes a erva já está lavada. Trocamos algumas idéias e retorno pra fazer o café com leite e torrada que levo pra minha esposa Lílian, normalmente ainda na cama, onde saboreamos juntos aquele momento.
   Estamos no final do ano de 2012, lembro de quando era criança e pensava que Cristo morreu com 33 anos,imaginava se chegaria aquela idade, mas hoje, de repente, logo em seguida, no dia 02 de janeiro de 2013 completo 50 anos. Estou numa transição total, o corpo já não é tão jovem, e sequelas da vida vão se aflorando.
   Em 2007 se manifestou uma artrose de quadril que me acompanhou até 2012, foram anos de muitas dores, mas a medicina resolveu o meu problema e com uma prótese de quadril posso realizar caminhadas, que até a pouco eram sonhos.
 Durante esses cincoenta anos vivi muitas experiências, na infância no colégio Marechal Rondon em Canoas, segui com a turminha de amigos, e ali lembro das brincadeiras, das professoras e do Diretor Frank e diretora Diva, no segundo grau fazendo eletrotécnica na Fundação Escola Técnica Liberato Salzano Vieira da Cunha, do curso de Direito na Ritter dos Reis. Do dia que conheci a Lílian, momentos que mudam a vida da gente.

   Ouvi muitas vezes e li que a vida é o presente, que o passado passou e o futuro não nos pertence, por isso devemos viver o presente. Entendo que esse pensamento não é de todo errado, mas com certeza o passado muitas vezes nos trás saudades, e saudade não se explica se sente, como disse o meu afilhado de casamento Claudemir, conhecido pro Casquinha.

    Então, “e agora José”, final de ano, e acumularam muitas mudanças ao mesmo tempo. Fui promovido, e posso assumir funções importantes em meu trabalho, por outro lado também posso me aposentar, e viver uma nova fase da vida.

     A Camicleta esta pronta esperando mais estrada, e ontem ainda fiz teste de direção e fui aprovado para CNH categoria “D”, resolvi fazer a carteira pois teria de renovar em janeiro, assim mudei de categoria.

    O verão, final de ano e liberdade, ou o trabalho, mais dinheiro e compromissos!

   Foram cincoenta anos para estar aqui, foram trinta e poucos trabalhando, de dia e muitas vezes a noite, sob regime disciplinar militar para a aposentadoria, e ainda tenho dúvida do que quero!

    Em 1996, durante minha formatura em Direito pela Ritter dos Reis, pensava em dar aulas após aposentar, hoje desisti disso, e também de advogar, nossos sonhos mudam!

    Quando não se conhece as dificuldades e sacrifícios se reconhece pouco a satisfação de pequenas vitórias. Isso aconteceu ontem quando passei no teste de direção. A Camicleta na garagem, novo ano e verão e já havia reprovado no primeiro teste. Em janeiro próximo vencendo a CNH, tinha um compromisso que montei comigo mesmo e com aqueles que me cercam, tinha que passar. Então, foram dias de angústia, e como tinha decidido não fazer novas aulas, fui com a preparação de 15 dias antes, mas peguei o micro ônibus do teste e consegui fazer a prova sem perder nenhum ponto, passei e parece coisa pouca, mas não é.

    Estou pronto para o ano novo, que venha 2013, e se vou aposentar logo ou não, deixo pro ano que vem.

    FELIZ ANO NOVO A TODOS!!!!!

 

  

Compartilhar

VIAJAR PROLONGA A VIDA

   Por muitas vezes ouvi amigos dizerem que temos que nos preparar para a aposentadoria, o que por si só já é um caminho longo e desgastante. Os dias de vigor da juventude passam rápido, tão rápido que nem notamos. Parar de trabalhar em um emprego fixo, todos os dias, pra mim é um sonho, poder dispor dos dias da forma que desejar. Agora a preparação que falam é porque muitos ficam tão sem objetivos ou nada pra fazer que entram em depressão.
      Diante desses conselhos de amigos é que me preocupei e passei a pensar em algo que fosse por demais inovador. Mas, o quê? Li certa vez que o tempo para as pessoas mais velhas passa mais rápido, e isso me fez pensar, e descobri porque. O nosso cérebro cria atalhos para as coisas que conhecemos, e com o passar dos anos conhecemos muitas coisas, ainda mais se quase todos os dias são iguais. O que fazer então pra prolongar a vida. Essa resposta, foi fácil, basta CONHECER e VIVENCIAR todos os dias coisas novas.
     Viajando o tempo vai passar de qualquer forma, mas a nossa percepção do tempo vai ser ampliada, um ano será como aqueles da infância que pareciam eternidades.

       Por isso para a minha aposentadoria quero uma nova vida, onde os dias sejam longos, os anos mais ainda, e acada momento possa ver novos lugares e conhecer pessoas novas.

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=ZHnRDSvKhF8&feature=youtu.be[/youtube]

 

         Que Cristo possa me alcançar essa graça.

 

Compartilhar